CONHEÇA A CARTA DA CONFERÊNCIA NACIONAL DEMOCRÁTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

04/12/2019

Via: Blog da ConferênciaNacional Democrática de Assistência Social

Nos dias 25 e 26 de novembro ocorreu a Conferência Nacional Democrática de Assistência Social -CNDAS, que foi realizada no auditório da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnb), na capital federal. A Conferência Democrática ficou marcada como uma das maiores expressões de resistência, organização e mobilização popular em tempos de acirramento do autoritarismo e de desmonte dos direitos e da democracia.

A CNDAS foi convocada pela Sociedade Civil do Conselho Nacional de Assistência Social, pelo Colegiado Nacional de Gestores/as Municipais de Assistência Social, pela Frente Nacional em Defesa do Suas e da Seguridade Social, pelo Fórum Nacional de Trabalhadores/as do Suas, Fórum Nacional de Usuários/as do Suas, Entidades Socioassistenciais, Movimentos Sociais, Organizações Populares, Mandatos Parlamentares, Universidades, Sindicatos, Órgãos de Classe, Defensores/as do Suas, e mais de 300 entidades de todo o Brasil, o que demonstra a forma da resistência popular.

Com o tema “Assistência Social: Direito do Povo com Financiamento Público e Participação Social”, a conferência fortemente democrática, plural e popular, reuniu mais 800 participantes, de todos os estados do Brasil, dentre usuários/as, trabalhadores/as e gestoras/es, conselheiras/os do Sistema Único de Assistência Social (Suas), além de representantes de entidades, de conselhos profissionais, fóruns, movimentos sociais e organizações populares.

A Conferência foi marcada pela beleza das manifestações e intervenções culturais, pelas falas contundentes em defesa dos direitos, pelas imagens de mobilização e ampla participação nas conferências, pelos relatos que reforçam a importância da política de Assistência Social na vida das pessoas, e reafirmam as bases do Suas.

A abertura contou com uma atividade cultural. Além disso, os participantes receberam fitas coloridas, que juntas formavam uma teia de união, representando também a diversidade. Os convidados ergueram placas com frases como “Nenhum Direito a Menos”, “Suas Resiste” “Financiamento Público da Assistência Social” e “Não a Precarização do Trabalho do Suas”.

No primeiro painel, com o tema “Por que defender a Democracia e o Direito à Assistência Social? Para fortalecer um Projeto Popular!”, Foi possível um amplo debate sobre o cenário de retrocessos e ameaças aos direitos conquistados e à democracia. Com a crítica central sobre o racismo estrutural e o autoritarismo, formam debatidos caminhos que passam pela defesa intransigente dos direitos e da democracia. Para Marcia Lopes, ex Ministra de Desenvolvimento Social do Governo Lula, o processo conferencial mostrou “nossa resistência, a nossa luta, que deve continuar em defesa do que conquistamos socialmente”.

Já o painel 2, teve como tema “O impacto do desmonte do Suas nos estados e os Resultados do processo Conferencial dos Estados e Municípios brasileiros”.  Foi possível uma análise sobre o panorama do Suas em todo o Brasil, com reflexões sobre tendências e desafios. Para tanto, formam apresentados e debatidos os resultados das conferências democráticas encaminhadas, o que possibilitou uma análise nacional, com indicação dos impactos e fortalezas construídas coletivamente. O processo conferencial dos municípios, dos estados e do Distrito Federal atingiu cerca de 200 mil participantes em 4.200 conferências municipais, em 24 conferências estaduais, sendo 3 previstas para 2020.

O painel, “Construção de uma Agenda de Lutas da Assistência Social”, teve início com a leitura da Agenda de Lutas pela Frente Nacional em Defesa do Suas e da SS, e uma liderança indígena. Aclamada coletivamente, a Agenda foi o ponto de partida para que os fóruns, movimentos sociais e organizações populares, usuários e trabalhadores, reafirmassem compromissos e bandeiras de lutas em defesa dos direitos e das lutas emancipatórias.

“A nossa luta unificou, é usuário junto com trabalhador”

“Organizar, Lutar e Resistir”

A Audiência Pública contou com ampla participação popular!

A Audiência Pública, requisitada pela Deputada Erika Kokay (PT), contou com a participação de representantes da Frente Nacional em Defesa do Suas e da SS, do Fórum Nacional dos Usuários da Assistência Social (FNUSUAS); Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS); Movimento Nacional de Entidades de Assistência Social (MNEAS); Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC); Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (CONGEMAS); Fórum Nacional de Secretários de Estado de Assistência Social (Fonseas); além de representantes de movimentos e Conselhos Federais de Serviço Social e Psicologia, durante o debate.

Diversos parlamentares participaram e reafirmaram a defesa do Suas, do PLN nº 42/19, que trata da recomposição do orçamento para 2019, totalizando 750 milhões, além de outras pautas em defesa do Suas e da Democracia.

Berenice Rojas Couto, professora e pesquisadora na área, representante da Frente Nacional em Defesa do SUAS e da Seguridade Social disse que este é o desmonte de uma política construída coletivamente. “Os serviços prestados pela assistência social hoje representam a garantia de atendimento do povo brasileiro, portanto é necessário que todos nós aqui reforcemos aos parlamentares que não vamos aceitar isso, a prova disso é a realização da Conferência”, explica.

A representante do Fórum Nacional dos Trabalhadores do SUAS (FNTSUAS), Margareth Dallaruvera, pela Federação Nacional de Assistentes Sociais, afirmou que o movimento esteve presente, denunciando como está sendo o desmonte no campo da seguridade social, já que “não é só o SUAS que está sendo ameaçado, também temos aí a seguridade social, queremos também denunciar a perspectiva da exclusão do serviço social no INSS”.

Aldenora González, presidente do Conselho Nacional de Assistência Social, pelo Instituto EcoVida, afirmou que sociedade civil mobilizou nacionalmente as conferências e que a luta dos usuários em defesa da Assistência Social é fundamental. “A Conferência foi um espaço essencial para não deixar morrer a luta em defesa de direitos conquistados duramente ao longo dos anos para a população brasileira, que, como ela, necessita e faz uso da assistência social para voltar à sociedade como cidadão de direitos”, concluiu.

A Audiência Pública também tinha o objetivo de pautar o PLN nº 42/19 que trata da recomposição de recursos para o orçamento da Assistência Social. São R$ 750 milhões, o necessário para garantir os recursos das parcelas relativas ao exercício de 2019. A presidenta do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social, Andrea Lauande, e a representante do Fórum Nacional de Gestores Estaduais de Assistência Social, Iris Oliveira, reafirmaram a necessidade dos parlamentares aprovarem o PLN 42 sem emendas, caso contrário os municípios e a população serão prejudicados, já que são recursos que mantém parte dos serviços prestados à população.

Após amplo debate a Deputada Erika Kokay encaminhou a composição de um comitê, a implantação de um Observatório do SUAS, e reafirmou a importância de uma agenda permanente de ações em defesa do Direito à Assistência Social.

Ela foi construída durante a Conferência Democrática de Assistência Social e prevê lutas específicas que reafirmam o SUAS e lutas mais gerais, unificadas com movimentos sociais e organizações populares:

 

 




Veja também

NOTA DO SINDICATO DOS ASSISTENTES SOCIAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SOBRE A PROPOSTA DE REFORMA ADMINISTRATIVA

NOTA DO SINDICATO DOS ASSISTENTES SOCIAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SOBRE A PROPOSTA DE REFORMA ADMINISTRATIVA

16/09/2020 - Considerações do Saserj acerca da proposta de reforma administrativa enviada ao Congresso Nacional pelo governo de Jair Bolsonaro O Sindicato dos...

A CONQUISTA DA LEI DAS 30 HORAS SEMANAIS PARA ASSISTENTES SOCIAIS -10 ANOS

A CONQUISTA DA LEI DAS 30 HORAS SEMANAIS PARA ASSISTENTES SOCIAIS -10 ANOS

26/08/2020 - Há 10 anos, era publicada a Lei n. 12.317, que estabeleceu a jornada de trabalho de 30 horas semanais para assistentes sociais, uma conquista da categori...

PRESIDENTE DO SASERJ PARTICIPOU DE AUDIÊNCIA DE DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE SOBRE TRABALHADORES (AS) DOS HOSPITAIS DE CAMPANHA; SAIBA COMO FOI

PRESIDENTE DO SASERJ PARTICIPOU DE AUDIÊNCIA DE DISSÍDIO COLETIVO DE GREVE SOBRE TRABALHADORES (AS) DOS HOSPITAIS DE CAMPANHA; SAIBA COMO FOI

21/08/2020 -   No dia 20 de agosto, o presidente do Saserj, Edmílson Soares Reis, participou mais uma vez das audiências do Dissídio Coletivo de Gr...

PCCS DA SAÚDE ENTRA NO ORÇAMENTO DE 2021

PCCS DA SAÚDE ENTRA NO ORÇAMENTO DE 2021

14/08/2020 - Emenda atende a uma demanda de quase 30 anos da categoria que tem grande defasagem salarial A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovo...