NOVA DIRETORIA DO SASERJ TOMA POSSE PARA O MANDATO 2022-2025

29/05/2022

NOVA DIRETORIA DO SASERJ TOMA POSSE PARA O MANDATO 2022-2025

A nova diretoria do Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Rio de Janeiro – Saserj, eleita através do Processo Eleitoral iniciado no dia 28 de março, tomou posse na última sexta-feira na sede do Sindicato dos Trabalhadores no Combate às Endemias no RJ – Sintsaúderj, no Centro do Rio.

Estiveram presentes os filiados e membros da antiga e nova diretoria, bem como sindicalistas e parlamentares historicamente defensores da classe trabalhadora e parceiros das pautas de luta do Saserj e da Assistência Social.

A Mesa de Abertura contou com a presença do deputado estadual Waldeck Carneiro, Virgínia Berriel, representante nacional da Central Única dos Trabalhadores – CUT, Alessandra Celita, representante do CRESS da Sétima Região, Edmilson Soares Reis, presidente do Saserj encerrando o seu mandato, Margareth Dallaruvera, diretora do Saserj e representante da Federação Nacional dos Assistentes Sociais – Fenas. Após a apresentação do Hino Nacional Brasileiro e de um breve histórico do sindicato, também compuseram a mesa o vereador Reimont Otoni e o ex-deputado estadual Robson Leite. Marcaram presença também a ex-presidente do Saserj, Maria José Peixoto e Mariléa Ormond, servidora pública estadual, ex-presidente do Iaserj e atualmente membro do Conselho Distrital de Saúde da AP1. Foi realizado um minuto de silêncio em memória das vítimas da Covid-19, em especial pelas colegas Denise Rocha, Conceição Luz e Luiza Dantas.

Mesa de Abertura durante a execução do Hino Nacional

Com a palavra, o deputado Waldeck saudou a todos e todas e destacou a importância do papel do profissional da Assistência Social, principalmente no contexto atual de desmonte das Políticas Públicas presente no Brasil, o que “aprofundou a pobreza, o desemprego, a miséria e as desigualdades sociais”. Ele lembrou da presença dos assistentes sociais nas escolas e nas equipes multiprofissionais na esfera da Saúde Mental e nos Centros de Referência.

“A importância dos assistentes sociais no contexto atual de desmonte das Políticas Públicas presente no Brasil, o que “aprofundou a pobreza, o desemprego, a miséria e as desigualdades sociais”. Waldeck.

O vereador Reimont parabenizou o sindicato e ressaltou sua característica de uma entidade necessária, cutista, de esquerda e comprometida com a luta do povo. Reimont lembrou que, muitas vezes, “quem cuida acaba não sendo cuidado pelos governos” e enfrentam lutas diárias para manter o trabalho ativo, nomeadamente a manutenção do SUAS (Sistema Único da Assistência Social), que, na pandemia, por exemplo, ajudou muito a população. Ele disse esperar que a nova diretoria continuasse a levantar as mesmas bandeiras de luta nestes tempos de dificuldades enfrentadas.

“Quem cuida acaba não sendo cuidado”, disse Reimont.

 

Virgínia Berriel disse ser uma honra estar presente na posse e disse que a CUT acompanha de perto a luta do Saserj e das trabalhadoras (es) da Categoria. Berriel comentou a “bonita história de luta do Saserj” e a perseverança em batalhar pelos direitos dos trabalhadores da área, com ênfase também durante a pandemia onde, ao lado do SUS, a Assistência Social desempenhou papel fundamental para minimizar os efeitos da crise na Saúde. Segundo ela, trata-se de uma categoria imprescindível, mas muito desvalorizada. Berriel fez questão de situar a atual crise propagada pelo desgoverno do presidente Jair Bolsonaro lembrando que “a semana terminava com mais uma chacina na Vila Cruzeiro por parte da Polícia Militar”, quando 26 pessoas foram mortas numa operação de combate ao tráfico de drogas, no RJ, e “da mesma maneira vergonhosa e indecente, a morte de um cidadão em Sergipe” pelas mãos de policiais rodoviários ferederais “torturado numa câmara de gás”.

“As assistentes sociais foram protagonistas neste momento tão doloroso de pandemia”, afirmou Berriel.

Robson Leite, por sua vez, parabenizou a nova diretoria e desejou “sucesso numa luta que não será fácil” e disse que “ser dirigente sindical neste momento significa multiplicar por cinco as dificuldades as angústias e os desafios”. Robson disse que não está sendo fácil a batalha pela volta dos direitos dos trabalhadores mas que, em breve, “o homem da casa de vidro têm prazo de validade expirando e ninguém pode mais aguentar mais quatro anos deste governo [federal]”, numa alusão ao atual presidente da República e suas políticas de destruição social e econômica.

“O homem da casa de vidro têm prazo de validade expirando e ninguém pode mais aguentar mais quatro anos deste governo [federal]”, sentenciou Robson Leite.

Alessandra Celita trouxe um abraço fraterno de todo o CRESS à nova diretoria do Saserj. Durante sua fala, Celita disse que deve ficar para trás aquela diferença de “sindicato de um lado e CRESS do outro, isso acabou!”. Mesmo sendo instâncias diferentes, todos precisam estar juntos, disse.

“Diante da atual conjuntura política nacional, a gente não pode perder tempo com diferenças, precisamos unir forças”, afirmou Celita.

Margareth Dallaruvera cumprimentou a todos e todas em nome da Fenas e iniciou sua fala prestando uma homenagem especial à secretária Marly, do sindicato, que presta seus serviços há décadas e ao jornalista Daniel, da assessoria de Comunicação do Saserj. Em seguida, Margareth situou a história do Sindicato com “muitas representantes guerreiras há 59 anos que merecem todo o reconhecimento”. Lembrou também da retomada dos trabalhos do sindicato em 1995, depois de ficar fechado por alguns anos por conta de uma deliberação sindical anterior, porém, retorna com um protagonismo na luta nacional e disputando vários espaços de diálogo, tanto a nível estadual quanto em Brasília".

“O Saserj retorna com um protagonismo na luta nacional e disputando vários espaços de diálogo, tanto a nível estadual quanto em Brasília, bem como nunca foi omisso diante dos interesses da Categoria", afirmou Margareth.

Finalizando as falas um descontraído Edmilson Soares, nos instantes finais da sua marcante presidência do Saserj, disse estar entre amigos e agradeceu à companheira Dani, mestre de cerimônia nesta posse. Edimilson prosseguiu saudando à memoria da companheira Luiza Dantas, diretora do Sintsaúderj, falecida no ano passado, destacando o trabalho dela e de Sandro Cezar, presidente do Sintsaúderj, que deram apoio a ele, Edmilson, e a outros assistentes sociais no município de Nova Iguaçu num momento de grandes problemas salariais. Contou também sobre o seu ingresso no movimento sindical e no Saserj para viver por dentro e tentar contribuir com as demandas dos trabalhadores.

“Sempre busquei pautar minha presidência no coletivo”. Edimilson Soares.

Sobre a situação dos sindicatos, Edmilson lembrou que o “fim do imposto sindical quebrou as entidades, que tiveram que lutar para sobreviver”. Neste sentido, argumentou, também houve um retorno às bases e uma reaproximação com os trabalhadores da ponta. Edmilson destacou o trabalho de reorganização das contas do sindicato e o retorno do pagamento das mensalidades à CUT, importante responsabilidade para todo o sindicalismo cutista.

“Era preciso lutar para ajudar quem está gritando para não morrer”, disse Edmilson sobre os seus três anos à frente do Saserj.

Por fim, Edmilson passou o seu mandato para a nova presidente do Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Rio de Janeiro, Aparecida Guerra.

Aparecida Guerra, a nova presidente do Saserj

Aparecida se disse muito feliz e ao mesmo tempo preocupada em assumir este desafio de presidir um sindicato. Ela já estava aposentada pouco antes do nefasto Golpe Parlamentar de 2016, tendo uma jornada de vida pública de mais de 30 anos e contou como se deu seu processo de ingresso no Saserj. Este resgate de memória, disse, serve para mostrar como ela chegou até ali. Explicou também como se deu sua entrada na diretoria de 2019, quando estava “surtando com todo este desgoverno atual e barbárie em que vivemos”.

 

“Eu não posso ficar aqui sentada vendo tudo isso acontecendo. Não posso e não vou. Margareth me convidou [para compor a diretoria] e não pensei duas vezes”, disse a nova presidente do Saserj.

Aparecida concordou com as palavras de Edimilson quando ele disse ter sido a gestão que se encerra um trabalho coletivo e exemplificou como “trabalho de formiguinha” do ex-presidente a presença de Celita, do CRESS.

“Sei que é um momento difícil e os sindicatos vivem um momento muito complicado, mas nós, trabalhadores, da Assistência Social, da Saúde, todos os trabalhadores, estamos diariamente tendo os direitos violados e temos que estar unidos. Os sindicatos estão aí para isso”, completou Aparecida.

Durante as falas dos presentes, praticamente todos e todas destacaram o grave momento de desmonte das entidades sindicais no Brasil, um projeto iniciado ainda no governo de Michel Temer e aprofundado na administração de Bolsonaro/Paulo Guedes, cujo objetivo é enfraquecer a luta dos trabalhadores e das trabalhadoras para fazerem valer seus direitos. Aparecida pediu uma salva de palmas para Edmilson.

A cerimônia foi finalizada com a assinatura do Livro de Posse de toda a nova diretoria do Saserj que assim está composto para os próximos três anos:

Presidente: Maria Aparecida Guerra Vicente

Vice-Presidente: Caroline de Mendonça Araujo;

Secretária geral: Aline Fernandes Salles;

1º Tesoureiro: Edmilson Soares Reis

2º Tesoureira: Veronica Cristina de Barros Ferreira

DEPARTAMENTOS

Comunicação e Divulgação: Aída Gonçalves Vianna da Silva

Assuntos Jurídicos: Alzira Prata Faria

Administração e Patrimônio: Vânia Suely Dias de Carvalho Lelis

Formações e Relações Sindicais: Jocelene de Assis Ignácio;

Relações Trabalhistas e Negociações Coletivas: Wanessa Souza da Rocha;

Formação Profissional e Educação Continuada: Francinete da Conceição Amorim do Carmo;

Assuntos Éticos: Adriana Domingues Costa

Conselho Fiscal – Titulares:

Margareth Alves Dallaruvera;

Mariza Pereira Alvarenga;

Neidimar Gomes de Miranda;

Conselho Fiscal-Suplente:

Zely Guimarães Mourão

Rosana Fernandes da Silva

Gysele Fonseca da Silva Marchiotti

O ex-presidente Edimilson Soares Reis permanece na diretoria do sindicato, agora como 1º Tesoureiro.

A posse foi transmitida ao vivo pela página oficial do sindicato no Facebook e pode ser conferida na íntegra.

Daniel Spirin Reynaldo/Ascom Saserj




Veja também

CONFERÊNCIA LIVRE, DEMOCRÁTICA E POPULAR DE SAÚDE COMEÇA AMANHÃ

CONFERÊNCIA LIVRE, DEMOCRÁTICA E POPULAR DE SAÚDE COMEÇA AMANHÃ

04/08/2022 - Nesta sexta, 5 de agosto, com transmissão ao vivo, centenas de profissionais, pesquisadores e gestores da saúde e usuários e usuária...

SASERJ MARCA PRESENÇA EM ATO DO FUNCIONALISMO MUNICIPAL DO RIO

SASERJ MARCA PRESENÇA EM ATO DO FUNCIONALISMO MUNICIPAL DO RIO

02/08/2022 - O Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Rio de Janeiro, representado pelo diretor e ex-presidente Edmilson soares Reis, esteve presente no ato do ...

SASERJ PARTICIPOU DE MARCHA DAS MULHERES NEGRAS, EM COPACABANA

SASERJ PARTICIPOU DE MARCHA DAS MULHERES NEGRAS, EM COPACABANA

01/08/2022 - O Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Rio de Janeiro - Saserj participou na VIII Marcha Das Mulheres Negras, na Praia de Copacabana/RJ, neste domingo...

NOVO ATO DO FUNCIONALISMO MUNICIPAL

NOVO ATO DO FUNCIONALISMO MUNICIPAL

01/08/2022 - O Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Rio de Janeiro - Saserj convoca os (as) assistentes sociais para participarem de mais um ato do funcionalismo m...